Uma parceria entre a COOTRAF, Sec. de Agricultura de Wagner, CETEP da Chapada Diamantina e a Universidade Federal da Bahia – UFBA está proporcionando aos Criadores de Ovinos e Caprinos do Município a oportunidade de melhorarem geneticamente seus rebanhos por meio da Inseminação Artificial.

Entre os dias 6, 7 e 13 de julho, a parceria levou a Produtores do município tecnologias voltadas para a reprodução animal. Foram passadas informações sobre o manejo  sanitário, realizadas ultrassonografias, exames de fezes e  Inseminação Artificial em Cabras e Ovelhas.  A atividade ocorreu no CETEP de Wagner/BA.

Na sexta feira – dia 06, os animais foram examinados e em seguida feitos os primeiros procedimentos para a inseminação. Mas, dias anteriores à atividade foi realizado uma pré-seleção com a Médica Veterinária da COOTRAF – Mariana Barros, que percorreu as propriedades realizando ultrassonografia e verificando os animais aptos a serem inseminados.

No sábado – 07/07, ocorreu o Curso de Inseminação Artificial, com a participação de Criadores, Estudantes, Professores e outros Profissionais.

Foto: Publicação de Mariana Barros – Médica Veterinária da COOTRAF (Facebook)

O processo de inseminação foi concretizado na última sexta feira 13, pelo GERA – Grupo de Estudo em Reprodução Animal da escola de Medicina Veterinária e Zootecnia da UFBA. O grupo representado pelo Prof. Dr. Rodrigo Freitas Bittencourt e por Estudantes e Estagiários de Medicina Veterinária inseminaram um número expressivo de animais.

O agricultor Vanildo Nascimento levou doze Ovelhas para inseminação, para ele essa foi a ‘oportunidade’ de melhorar geneticamente o seu rebanho. “Já tinha pensado em melhorar a genética do rebanho mais nunca tive a oportunidade de adquirir o sêmen, o processo de inseminação que os técnicos fazem para melhorar o rebanho, mas agora surgiu essa oportunidade e eu estou aproveitando” afirma Vanildo.

O agricultor teve a chance de tirar as duvidas sobre a criação e obter uma noção de como funciona o processo de inseminação.

Caio Vitor – Técnico da Cooperativa de Trabalho, Assessoria Técnica e Educacional para o Desenvolvimento da Agricultura Familiar (COOTRAF), disse que adquiriu um conhecimento novo: “sempre é bom você está aprendendo coisas inovadoras e com esse trabalho a gente vai poder está contribuindo com os criadores que não puderam participar dessa atividade”.

Caio aprendeu a fazer a inseminação artificial e a aplicar antibióticos nos animais, “cada vez mais, um aprendizado novo em nossas vidas é muito importante, principalmente para nós que estamos atuando na área da Agricultura Familiar”.

Adrielle Rosa, estudante de Medicina Veterinária e ex-estudante do CETEP fala ao “Folha da Chapada” sobre sua participação no Grupo de Estudos em Reprodução Animal.

Ela informa que o GERA é um grupo que se compromete em desenvolver a Pesquisa, Extensão e Ensino na Universidade, que é composto por Estudantes, Estagiários de Extensão, de Pesquisa, Mestrandos, Doutorandos e Professores. Há dois anos que ela encontra-se no grupo e já participou de atividades como essas em outros municípios, como Várzea Nova e Morro do Chapéu.

Perguntada sobre a sensação de está voltando ao seu município para desenvolver essa atividade, Adrielle responde: “fiquei muito emocionada, durante esse evento, porque nessa escola foi onde eu vivi os principais anos da minha vida, fiz o Curso Técnico Agrícola e conheci também os professores que foram essenciais para eu estar onde estou hoje”. Ela menciona os professores Gileno e Amanda Amorim como principais referências.

Adrielle alude a escola pela sua importância em abastecer o sonho que tinha em estudar Medicina Veterinária, cita que veio da Zona Rural, de família humilde e que estar na UFBA com os melhores Professores de Ensino e Extensão do Estado é um orgulho imenso, que não tem palavras para agradecer.

A ação realizada nesses últimos dias foi muito importante para os criadores, mas não o suficiente. Os agricultores familiares querem mais atividades tipo essas, querem ações voltadas para outros animais como, por exemplo, os suínos. O município também tem a necessidade de um Profissional Formado em Medicina Veterinária para atender exclusivamente aos pequenos produtores locais.

Por Romilson Joaquim

(Com fotos de: Mariana Barros, Caio Vitor)